quarta-feira, 7 de maio de 2014

Espírito Familiar


Um Familiar é um espírito que escolhe (quase sempre, por vontade própria) acompanhar e guiar um bruxo.
  O Familiar pode ser um espírito desencarnado (neste caso, um parente ou ancestral morto, ou mesmo um espírito desconhecido, mas sempre alguém que entende de magia), um elemental (bakenekos são perfeitos para isso, mas são difíceis de serem controlados), um anjo ou um demônio.
   No caso de um demônio, é só para as bruxas que mexem com as forças das trevas. Elas preferem ter demônios como familiares, já que trabalham com energias sombrias.
Não imagino um anjo ligado à um animal, em especial. Mas, muitas pessoas afirmam que eles podem servir como Familiares. Então, eu não sou ninguém para contestar estas pessoas (embora, eu realmente, não acredite nisso).


Sabrina e seu Familiar Salem

Um familiar seria uma "ponte" que ligaria a bruxa ao plano astral. Ele seria mais ou menos usado como um canal de comunicação entre bruxos e espíritos (um médium, em outros palavras) e, seria suscetível a possessão. Desta forma, acredita-se que um espírito em particular se ligaria aquele animal e em dados momentos, quando houvesse uma necessidade de comunicação entre a bruxa e o espírito, o mesmo possuiria ou persuadiria o animal para que então, houvesse uma comunicação entre ambos.
   Para que houvesse uma maior ligação entre a bruxa e seu familiar, muitas vezes, ela podia dar o seu próprio sangue misturado ao leite ou a água do animal. Então, haveria uma ligação através do sangue entre eles. O que acontecesse de bom ou de ruim à bruxa, seria sentido pelo seu familiar. Portanto, ele seria obrigado a zelar pelo bem estar e pela segurança de sua senhora.
Afinal de contas, o que acontecesse a um, aconteceria ao ao outro, pois suas vidas estavam ligadas. E cá entre nós, me parece um bom negócio ligar à sua vida a de um gato (não dizem que ele tem sete vidas?).
   As bruxas faziam um ritual em especial, onde convidavam um espírito sábio e que entendesse de magia a entrar no corpo de um animal (quase sempre um filhote). Ou então, apenas faziam o ritual e aguardavam até que um Familiar viesse até elas. E não demorava muito tempo, logo, surgia um gato, um sapo ou uma coruja, ou etc, na casa da bruxa. Ela dava as boas vindas ao seu familiar e o tratava como um membro de sua família. Era mais comum que os gatos (pretos ou não) viessem até elas. Neste caso, as bruxas davam maior atenção aos felinos, pois nunca se sabe quando um gato, pode na verdade, ser um bakeneko disfarçado. Ter um bakeneko como familiar seria tão fantástico quanto ter um dragão, um grifo ou uma kitsune (raposa de nove caudas) como guardião. Este ser em particular, é um dos mais poderosos que já ouvi falar.
   De todos os espíritos familiares o mais popular sempre foi o gato, mas existem outros, como cães, sapos (quem vai ser o excêntrico a ter um sapo de estimação?), corujas, cobras, lagartos e tantos outros. Fica a seu critério, escolher qual bicho combina mais com você. Eu considero gatos e pássaros mais apropriados, pois eles podem se locomover facilmente e agirem como espiões.
  Sempre, tente recompensá-lo de alguma forma pelos seus serviços. Se for um gato, dê leite a ele. Se for um cão, uma carninha mal passada, de vez em quando é bom.
    Animais Familiares podem ser físicos ou espirituais. Quando físicos, eles podem estar sob o disfarce de animal de estimação. Mas diferente dos animais comuns, eles são muito inteligentes. Entendem perfeitamente bem o que seus donos falam e sempre os encaram enquanto estes falam com eles. Se você já conversou por horas com um animal e ele te encarou o tempo todo, como se entendesse cada sílaba do que você diz, sabe bem do que estou falando!
Quando espirituais, os familiares podem se comunicar telepaticamente (os físicos também podem) ou através de sonhos e visões com o bruxo. Os mais avançados em magia, podem até ver o espírito familiar a seu lado.
   Alguns bruxos moderninhos ou excêntricos, preferem comprar uma imagem de um animal, consagrar essa imagem em um ritual e convidar um espírito a habitar a mesma. Tem gente que considera esta forma de se trabalhar com seu familiar mais cômoda e segura. Pois, nem todo mundo pode ou tem condições de criar um animal físico. Então, neste caso, uma estátua seria perfeita. Eu já vi imagens bonitinhas de Bakenekos por aí, mas fico na dúvida se compro uma ou não. Acho que seria mais legal ter um gatinho de verdade, para poder pegá-lo no colo e encher ele de mimos!
   Seja como for, um espírito familiar é um bom espírito. Muitas vezes, ele é incompreendido por gente que não entende nada de magia e vê o mal em tudo e em todos. Ele é uma boa alma que só quer ajudar os outros a trilharem o verdadeiro caminho da magia. Ele nos guia, nos aconselha e nos protege. No entanto, ele não tem mais um corpo físico e precisa usar um animal para ficar ao nosso lado e nos proteger sempre.
   O familiar cuida com muito carinho do animal ao qual está ligado e, de maneira alguma, permite que alguém maltrate o bichinho.
E como eu disse antes, se você tiver a sorte de ter encontrado um animal (ou seja, não ter comprado ele num pet shop) , ele pode ser naturalmente um familiar. E, nesse caso, ele seria mágico (como um bakeneko) e poderia assumir a forma humana, quando quisesse.


0 comentários:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 
Wordpress Theme by wpthemescreator .
Converted To Blogger Template by Anshul .